Últimos 60 quilómetros abertos ontem ao trânsito
4/5/2012 in Jornal Nordeste

Topografia

Mapa topográfico da cidade de Bragança

 

 

Topografia é a ciência que estuda todos os acidentes geográficos, definindo a sua caracterização e localização numa determinada área. Tem a importância de determinar analiticamente as medidas de área e perímetro, localização, orientação, variações no relevo, etc., e ainda representá-las graficamente em cartas (ou plantas) topográficas.

 

 

 

 

 

 

A palavra “topografia” é formada pela união das palavras gregas “topos” (que significa “lugar” ou “região”) e “graphein” (que significa o verbo “descrever”). Assim, na sua origem, a palavra “topografia” queria dizer “descrição de um lugar”.

A topografia é também instrumento fundamental para a implantação e acompanhamentos de obras tais como: projectos e construção de vias de comunicação, edificações, urbanizações (loteamentos), movimentos de terras, etc.



Campo de actuação da topografia

A COTA 700 durante um trabalho de levantamento topográfico.A topografia actua em áreas relativamente pequenas da superfície da Terra, de modo que sejam representadas particularidades da área, como construções, rios, vegetação, rodovias e ferrovias, relevos, limites entre terrenos e propriedades e outros detalhes de interesse. As escalas de redução normalmente usadas na confecção de plantas topográficas variam de acordo com o fim a que se destina o referido trabalho: desde 1:50 e 1:100 em representações de lotes urbanos até cerca de 1:5000 para representações de propriedades rurais.

Um dos grandes desafios da cartografia é representar a Terra (cuja superfície é curva) num plano. Isso é impossível de se fazer sem que ocorram deformações. E quanto maior a área representada, mais significativas são essas deformações. Como a topografia trata de áreas pequenas, o seu limite de actuação (chamado de “campo topográfico”) é aquele em que seja possível desprezar o erro causado pela curvatura da Terra sem que haja prejuízo de precisão do levantamento topográfico. Esse campo topográfico depende da escala do trabalho, pois o erro de medida é limitado ao erro de reprodução e de acuidade visual, ou seja, o erro deve ser tão pequeno que, se fosse considerado, seria menor que o erro de produção ou reprodução da planta, ou ainda menor que o limite visual do olho humano. Além disso, para um limite fixo de erro e escalas diferentes, o alcance da área a ser levantada varia. Por exemplo, para uma precisão de 1:200000, o campo topográfico é uma área com um raio de 23 quilómetros, o que corresponde a mais de 1.600 km².



Geodesia

Vértice geodésico Melriça

O termo Geodesia (do grego Γεωδαισία, composto de γη, "terra", e δαιζω, "dividir") foi usado, pela primeira vez, por Aristóteles (384-322 a.C.), e pode significar tanto 'divisões (geográficas) da terra' como também o acto de 'dividir a terra' (por exemplo entre proprietários). A Geodesia é, ao mesmo tempo, um ramo das Geociências e uma Engenharia, que trata do levantamento e da representação da forma e da superfície da Terra (Definição clássica de Helmert), global e parcial, com as suas feições naturais e artificiais e o campo gravitacional da Terra.

A Geodesia Superior ou Geodesia Teórica, dividida entre a Geodésia Física e a Geodésia Matemática, trata de determinar e representar a figura da terra em termos globais; a Geodesia Inferior, também chamada Geodesia Prática ou Topografia, levanta e representa partes menores da Terra onde a superfície pode ser considerada 'plana'.

A Geodesia fornece, com as suas teorias e seus resultados de medição e cálculo, a referência geométrica para as demais Geociências como também para a Geoinformática, os Sistemas de Informações Territoriais, os Cadastros, o planejamento, as engenharias de construção, a navegação aérea, marítima e rodoviária, entre outros e, inclusivamente para aplicações militares e programas espaciais.



Fonte: “Wikipédia”, visitada no dia 27 de Janeiro de 2008.